Planejamento Financeiro: 9 benefícios para sua empresa

A importância de ter um planejamento financeiro

Construir um planejamento financeiro de negócios não é fácil, requer esforço, bons dados e uma boa dose de imaginação, porém ele ajuda você a se comunicar com a sua equipe e a superar novos desafios.

O que é planejamento financeiro empresarial? 

Planejamento financeiro empresarial é um conjunto de ações, ferramentas e controles que buscam entender, organizar e gerenciar os recursos financeiros de uma empresa a ponto de gerar melhores resultados. Essas ações envolvem projeções de receitas, despesas e cenários, utilizando de diversas ferramentas.

O que é planejamento financeiro

Para ficar mais claro, pense nas suas finanças pessoais. Ao saber quanto dinheiro você possui, fica mais fácil planejar os gastos com compras, lazer e na reforma da sua casa. Assim, você organiza suas finanças para suprir suas necessidades sem que falte dinheiro no fim do mês.

Já em uma empresa, ao saber seu faturamento mensal, é planejado os gastos, despesas e investimentos que serão feitos nos próximos meses. A ideia é suprir as necessidades da empresa, mas também gerar melhores resultados e utilizar os recursos financeiros de forma eficiente, fazendo que “não falte dinheiro” no fim do mês.

E, por se tratar das finanças, esse planejamento possui fator decisivo no sucesso de um negócio. É ele que mostrará sua saúde financeira atual, bem como os resultados financeiro-econômicos projetados dos próximos meses.

É fundamental que as finanças sejam acompanhadas de perto e que as projeções sejam feitas de forma eficiente. Caso contrário, sua empresa estará caminhando no escuro e dependendo exclusivamente da sorte.

Portanto, lembre-se: para direcionar suas ações no caminho dos melhores resultados, ter um planejamento financeiro é fundamental.

Veja 9 benefícios do planejamento financeiro para sua empresa

1- Objetivos claros para empresa

Este é realmente o ponto de partida para todo o seu planejamento financeiro. O que a empresa deve alcançar no próximo trimestre, ano, três anos e assim por diante? 

Logo no início, você desejará estabelecer que exista uma necessidade real para o seu negócio e que o seu negócio atende a essa necessidade. Isso também é conhecido como “adequação ao produto / mercado”. Para muitas empresas, os primeiros anos podem ser dedicados à construção de um produto e ao estabelecimento desse produto / mercado. Portanto, essa seria sua principal meta de um a dois anos, com pontos de verificação menores ao longo do caminho.

Se esse for seu objetivo principal, você não definirá metas de vendas elevadas. De que adianta investir em vendas e marketing para novos clientes, se o produto não está pronto para vender? 

Voltaremos a referir-nos aos objetivos da sua empresa ao longo deste artigo, por isso vale a pena controlá-los desde o início. 

2. Gestão sensata do fluxo de caixa

Seu planejamento financeiro também deve definir expectativas claras para o fluxo de caixa – o valor que entra e sai da empresa. No começo, é claro que você vai gastar mais do que ganha. Mas qual é o nível de despesa aceitável e como você se manterá no caminho certo? 

Como parte desse plano, você também precisa descobrir como medirá o fluxo de caixa com facilidade. Você pode não ter especialistas em finanças experientes na equipe, então você pode acompanhar de forma precisa e eficiente para onde seu dinheiro está indo? 

Ao fazer seu plano agora, você pode prever os desafios de receber e investir dinheiro e identificar maneiras de fazer ambos com mais eficácia. 

Fluxo de caixa no plnajemanto financeiro.

3. Alocação inteligente de orçamento

Esse aspecto está intimamente relacionado à gestão do fluxo de caixa (acima) e às reduções de custos (abaixo). Depois de ter uma compreensão clara do montante de financiamento que você precisa gastar – seja por meio de receitas de vendas ou investimentos – você precisa descobrir como realmente vai gastá-lo. 

A empresa tem seu orçamento geral  para cada trimestre ou ano. Divida isso em orçamentos de equipe específicos (desenvolvimento de produto, marketing, atendimento ao cliente, etc) e certifique-se de que os valores dedicados a cada um refletem sua importância.

Os orçamentos dão a cada equipe suas próprias restrições a partir das quais construir. Eles sabem quais recursos estão disponíveis e podem planejar campanhas e desenvolvimento pessoal ou de produtos de acordo. 

No nível da empresa, monitorar os orçamentos do projeto ou da equipe sempre será mais fácil do que monitorar os gastos como um todo. Depois de decompor cada orçamento, é relativamente fácil ficar de olho em quem está gastando o quê. 

4. Reduções de custos necessárias

Além de definir quanto você pode gastar (e em quê), um planejamento financeiro também permite que você identifique a economia com antecedência. Se você já está no mercado há algum tempo, construir seu plano financeiro envolve primeiro olhar para trás, para ver o que você já gastou e quão rápido está crescendo atualmente. 

Ao definir seu(s) orçamento(s) para o próximo ano, você consultará os gastos anteriores e identificará custos desnecessários ou inflacionados ao longo do caminho. E então, para o orçamento do próximo ano, basta ajustar de acordo. 

Todo esse esforço consciente faz parte do controle de gastos, a prática de manter os gastos da empresa alinhados às suas expectativas. Melhor ainda, uma revisão trimestral ou anual quase sempre revela áreas onde você pode economizar dinheiro e colocar seus recursos em melhor uso. 

5. Planejamento financeiro como redutor de riscos

Um aspecto crucial do papel da equipe de finanças é ajudar as empresas a evitar e gerenciar os riscos – de fraudes financeiras a crises econômicas. E embora muitos riscos sejam difíceis de prever ou mesmo evitar, há muitos que você pode prevenir-se. 

Seu planejamento financeiro deve abrir espaço para certas despesas de seguro de negócios, perdas por ineficiências arriscadas e talvez reservar recursos para despesas inesperadas. Particularmente durante tempos turbulentos, você pode de fato criar várias previsões financeiras que mostram resultados diferentes para o negócio: uma onde a receita é fácil de obter e uma ou duas outras onde os tempos são mais difíceis. 

Novamente, a questão é ter planos de contingência em vigor e tentar determinar como seu roteiro muda se você crescer apenas 20% no próximo trimestre em vez de 30% (ou 50%). Não há motivo para exagerar, mas você pode encontrar áreas de risco dentro da empresa e também considerar suas melhores respostas se as coisas derem errado. 

Alocação inteligente no planejamento financeiro.

6. Gestão de crise

A primeira coisa que tende a acontecer em qualquer crise empresarial é revisar e reconstruir seus planos. O que, obviamente, significa que você deve ter um plano de negócios claro em primeiro lugar. Caso contrário, sua resposta à crise é simplesmente improvisar. 

À medida que a crise financeira de 2020/2021 se desdobra, o principal refrão que ouvimos dos líderes financeiros é a necessidade de fazer uma previsão constante. Ninguém sabe realmente quando a crise terminará ou como ela afetará seus negócios. Portanto, as empresas estão criando novos planos financeiros em uma base mensal ou trimestral, pelo menos. 

E aqueles com planos financeiros robustos e bem elaborados acharão esse processo mais fácil. Eles não estão começando do zero repetidamente e já identificaram riscos óbvios e as principais alavancas a serem acionadas em resposta. 

7. Arrecadação de fundos

Vamos abandonar totalmente o risco agora. Quer você seja uma empresa totalmente nova, uma empresa sustentável que precisa de uma pequena injeção de dinheiro ou esteja procurando um investimento significativo, em algum momento você provavelmente precisará de fundos. 

E a primeira coisa que qualquer investidor ou banco em potencial pedirá é o seu plano de negócios. Eles querem ver como você pretende fazer o negócio crescer, quais riscos e incertezas estão envolvidos e como você fará um bom uso do dinheiro deles. 

Um plano financeiro que fala aos investidores é fundamental e, quanto melhor for seu histórico de planejamento, maior será a probabilidade de eles confiarem em suas projeções. Portanto, quer você esteja ou não procurando fundos hoje, um plano financeiro de negócios é uma ferramenta importante.

8. Planejamento financeiro como roteiro de crescimento

Por fim, seu plano financeiro o ajuda a analisar sua situação atual e a projetar onde deseja que o negócio esteja no futuro. Novamente, seu plano de negócios mais amplo fará isso em um nível amplo: os mercados em que você gostaria de estar presente; o número de funcionários que você terá; os produtos ou serviços que você espera vender. 

A seção financeira adiciona dados a essas metas e conecta seu nível de investimento ao longo do caminho . Por exemplo, se você deseja contratar 100 novos funcionários este ano, seu plano financeiro provavelmente precisará incluir recrutadores e um orçamento específico para encontrar novos talentos. 

Reserve um tempo para definir o quão grande você espera que a sua empresa seja, prevendo suas despesas nesse cenário e o valor da receita que você busca. 

9. Transparência com a equipe e investidores

Já mencionamos o quão necessário é o seu plano financeiro para os investidores. Portanto, não vamos mergulhar mais neles aqui.

Mas o mesmo se aplica a sua equipe. Espera-se agora que os executivos da empresa sejam abertos e honestos com a equipe. 

No mínimo, os funcionários modernos querem ver se a empresa está em boas mãos e no caminho para o sucesso. E quando os executivos podem compartilhar o plano financeiro em reuniões gerais, eles trazem dados reais para o que de outra forma seria um plano de negócios sem detalhes. 

Os funcionários adoram ver números-chave como receita, custos e onde você está no caminho para a lucratividade. 

Vimos nove excelentes motivos para começar a trabalhar no plano financeiro de sua empresa o mais rápido possível. Conforme exploramos, as finanças formam uma parte crítica de seu plano geral de negócios, sem a qual você terá dificuldade em avaliar seu desempenho como empresa. 

Claro, este exercício requer projeção – você não pode simplesmente confiar nos números que tem hoje. Mas isso não é a mesma coisa que adivinhação. Siga as práticas recomendadas e considere todos os resultados potenciais e você sairá com um roteiro claro para ter sucesso nos negócios em um futuro próximo. 

A partir daí, é uma questão de trabalhar, medir o sucesso e atualizar regularmente o seu plano financeiro.

Conheça o Módulo de Controle Financeiro do ERP SIGER!