Indústria 4.0: como implementar efetivamente na sua empresa

Como implantar a Indústria 4.0

Hoje, a maioria dos gerentes de produção estão participando de uma corrida, sabendo disso ou não. É a corrida para adotar e implementar novos sistemas e tecnologias de manufatura: a Indústria 4.0.

Embora a adoção de novas tecnologias seja sempre desafiadora, esse processo é dificultado pelo fato de que a maioria das fábricas já possui um conjunto de sistemas em funcionamento. Esses sistemas tendem a ser um tanto rígidos e podem resistir ativamente às mudanças, mesmo quando for para o melhor da empresa. Isso, combinado com o ritmo absoluto de adaptação tecnológica, cria um ambiente no qual a maioria das empresas de manufatura luta para implementar novas tecnologias.

Felizmente, é possível para os executivos e líderes de manufatura implementar mudanças tecnológicas ao mesmo tempo em que desenvolvem uma cultura empresarial que promoverá eficiência e melhoria nos próximos anos. O segredo é a Indústria 4.0. Quer saber como funciona ou por que é importante? Você não está sozinho.

Aqui está o que você precisa saber sobre como implementar a Indústria 4.0 para suas operações de manufatura.

Por que a indústria 4.0 é importante

Importância da Indústria 4.0

Hoje, o mercado define se uma empresa permanece competitiva ou não, e as marcas que adotam a Indústria 4.0 têm uma chance muito maior do que seus concorrentes.

O termo se refere a um conjunto de inovações transformadoras no espaço da tecnologia digital. Essas inovações criarão um setor manufatureiro muito diferente daquele que existia anteriormente.

O foco é integração e colaboração. Nos últimos anos, várias tecnologias se combinaram para preparar o caminho para a robótica avançada, a Internet das Coisas, os softwares de gestão, o aprendizado de máquina e outros avanços semelhantes. A Indústria 4.0 atua como uma camada de integração que une essas inovações.

A Indústria 4.0 representa a quarta Revolução Industrial. Ela segue os passos da terceira Revolução Industrial, que envolveu o desenvolvimento de computadores e da internet.

Hoje, fabricantes em todo o mundo estão conectando máquinas à nuvem e desenvolvendo versões customizadas de sua própria IoT industrial como um primeiro passo para a Indústria 4.0. Embora eles estejam apenas arranhando a superfície do potencial inexplorado, eles estão criando uma base para o crescimento contínuo e a escalabilidade no futuro.

O que surgiu antes da Indústria 4.0?

A Indústria 4.0 é a próxima Revolução Industrial, subindo logo após as Revoluções Industriais anteriores, parece ser tão monumental quanto a primeira revolução industrial. 

A primeira Revolução Industrial aconteceu no século XVIII. Foi provocado pelo surgimento da máquina a vapor e do tear mecânico. Essa revolução mudou o transporte e o comércio para sempre. A revolução industrial atual se concentra na integração e colaboração, o que permite que tecnologias díspares trabalhem juntas de forma coesa.

No século XX, a produção e a eletricidade se tornaram comuns e generalizadas, e a segunda Revolução Industrial nasceu. 

A invenção do computador deu origem à terceira Revolução Industrial, e agora estamos entrando na quarta Revolução Industrial  – a evolução das tecnologias digitais e soluções de computação avançada.

As Revoluções Industriais anteriores foram desencadeadas pela invenção da tecnologia física, como novas máquinas, mas a Revolução Industrial mais recente, é impulsionada por novas maneiras de processar e utilizar informações para uma tomada de decisão mais eficiente. A Indústria 4.0 é representada pelo desenvolvimento da digitalização, incluindo computação remota e em nuvem, IoT, dispositivos conectados, IA e aprendizado de máquina.

Nesta Revolução Industrial, não há uma única plataforma ou tecnologia que está alimentando o movimento sozinha. Em vez disso, é uma abordagem profundamente coletiva. Embora as tecnologias sejam implantadas separadamente, elas funcionam coletivamente para formar a base de nosso mundo virtual moderno.

A Importância da Maturidade

Existem cinco estágios de maturidade da cadeia de suprimentos. São as seguintes: reagir, antecipar, integrar, colaborar, orquestrar. 

O estágio de reação envolve um foco na receita, o estágio de antecipação envolve a análise de metas e métricas, o estágio de integração envolve a consideração de compensações multifuncionais, o estágio de colaboração significa olhar para redes estendidas e o estágio de orquestração envolve a criação de soluções personalizadas. Como regra geral, as empresas que estão mais bem posicionadas para adotar iniciativas da Indústria 4.0 estão pelo menos no terceiro estágio da escala de maturidade do Gartner.

Em última análise, a maturidade depende da integração e colaboração. Organizações de manufatura bem-sucedidas precisam ter diferentes pessoas, equipamentos e processos que compõem sua cadeia de suprimentos de ponta a ponta trabalhando juntos de forma eficiente. Ela permite que as organizações não apenas lidem com a complexidade impulsionada pelas demandas de personalização de produtos em massa, mas também respondam às mudanças em sua cadeia de suprimentos com mais rapidez e eficácia. Este é um benefício crítico e serve para tornar as empresas mais competitivas.

Quando os tomadores de decisão de manufatura pensam sobre a Indústria 4.0 hoje, a conversa normalmente soa um pouco como: “Temos escolha? Quanto tempo podemos esperar? ”

Agora é um excelente momento para se envolver e fazer parte do movimento que está ajudando a mudar a indústria.

6 etapas para implementar a Indústria 4.0

Curioso para saber como você pode adotar a Indústria 4.0 para o seu setor? Aqui vão algumas dicas para você começar:

1. Entenda sua posição inicial

Antes de avançar para a adoção, você deve entender sua posição inicial.

Isso significa revisar seu estado atual de maturidade e identificar áreas onde sua equipe pode melhorar os esforços de maturidade. Isso estabelece a base para uma adoção bem-sucedida em toda a organização e tornará mais fácil o fluxo da implementação.

2. Foco na Indústria 3.0 primeiro

A adoção dos princípios da Indústria 3.0 é um ótimo lugar para começar. Embora possa parecer contraintuitivo adotar novas tecnologias focalizando as mais antigas, isso é importante para se preparar. A razão é simples: a maioria das empresas ainda não está preparada para implementá-la porque ainda não implementou a Indústria 3.0, que é um pré-requisito.

Isso não significa que as empresas não possam começar a se mover nessa direção. A adoção dos princípios da Indústria 3.0 é um ótimo lugar para começar.

Aqui estão algumas das coisas em que sua equipe deve se concentrar ao determinar as lacunas do setor 3.0:

Compromisso de gerenciamento. A adoção dos princípios da Indústria 3.0 como posição inicial para a Indústria 4.0 requer que toda a sua equipe esteja a par das mudanças e adaptações. Por causa disso, garantir a adesão da administração deve ser uma das primeiras etapas dessa jornada.

Conecte OT e TI. Para que a nova revolução industrial funcione de forma eficaz para sua organização, os departamentos de tecnologia da informação (TI) e tecnologia operacional (OT) devem trabalhar lado a lado. Se o seu departamento de OT não se integrar totalmente com as mudanças da Indústria 3.0, por exemplo, todo o esforço pode ser comprometido conforme você avança. 

Por exemplo, um sistema de programação de produção integrado precisa estar em vigor antes que a visão da Indústria 3.0 possa ser realizada. A coleta de dados de manufatura por conta própria é suficiente, mas dentro do contexto de um sistema de programação integrado, pode ser usada para apoiar a integração de TI e OT e aumentar a eficiência da produção. Mais importante, ele oferecerá suporte à programação autônoma quando a organização estiver pronta para implementar os aprimoramentos da cadeia de suprimentos da Indústria 4.0.

Comece pequeno. Evite sobrecarregar sua empresa e equipe começando aos poucos com a adoção da Indústria 3.0. Lembre-se de que isso representa, em muitos casos, mudanças significativas e começar aos poucos ajuda a limitar o estresse e promover a adoção.

3. Crie uma estratégia

Você não faria uma longa viagem sem um mapa e não deveria adotar a Indústria 4.0 sem uma estratégia definida. Esta é uma parte crítica do processo. Depois de definir seu nível de maturidade alvo, é essencial traçar um plano de implementação detalhado que o ajudará a atingir seus objetivos.

Isso serve a vários propósitos essenciais. Isso não apenas ajuda a resolver possíveis obstáculos que possam surgir, mas torna mais fácil promover a aceitação e navegar por possíveis dúvidas na equipe quando se trata da adoção.

4. Comece pequeno

Evite correr para a Indústria 4.0. Como alguns desafios são muito mais significativos do que outros, é melhor avançar um desafio de cada vez. Com isso em mente, escolha um desafio, resolva-o e mostre à organização como você o resolveu.

Depois de ter obtido sucesso aqui, você pode passar para o próximo ponto problemático e o próximo. Embora isso possa parecer uma abordagem fragmentada, é fundamental para garantir o sucesso a longo prazo e fornecer a base sólida necessária para uma implementação abrangente e durável.

5. Crie um ecossistema amigável

Se sua organização não estiver pronta para a Indústria 4.0, ela a rejeitará. Com isso em mente, sua organização deve criar um ecossistema de manufatura em que os elementos físicos e digitais de sua empresa se comuniquem.

Isso criará uma plataforma de aterrissagem compatível e é uma das muitas coisas essenciais para uma implementação abrangente e bem-sucedida. Como bônus, o processo de criação desse ecossistema também irá expor rachaduras em sua organização que podem precisar de atenção e mudança de processo.

6. Foco na melhoria de processos

O objetivo final da Indústria 4.0 é melhorar os processos de fabricação. Com isso em mente, é inteligente focar na melhoria de processos de ponta a ponta e em qualquer outra coisa que promova a colaboração, desde hardware até sistemas e questões de pessoal.

Isso pode significar investir mais em educação e treinamento, promovendo a automação de processos e explorando hardware e software que podem promover um negócio simplificado. Essa é a única maneira de acessar os processos autônomos que são tão famosos nesse novo cenário da para agilizar as operações.

Indústria 4.0: a próxima grande novidade para a manufatura

A indústria de manufatura tem visto muitos novos desenvolvimentos nos últimos anos. A Indústria 4.0 representa apenas o início mais recente desses desenvolvimentos. Um conjunto abrangente e coeso de tecnologias, tem o potencial de mudar toda a maré da indústria de manufatura. Também deve desenvolver uma realidade em que a automação seja padrão e as fábricas sejam mais inteligentes do que nunca.

A Indústria 4.0 se propõe a coletar grandes quantidades de dados em um amplo escopo de atividades. Dentro do ambiente de produção, o software de programação de manufatura é um facilitador chave no uso dos dados coletados e transformando isso em saída acionável que alimenta a cadeia de suprimentos conectada.

Sistema ERP para Indústria 4.0

A importância de contar com um ERP consistente é fundamental

Possuir um ERP como apoio a gestão da empresa já não é mais um diferencial e sim uma necessidade. Quando falamos de Indústria 4.0, o ERP precisa contar com alguns aspectos fundamentais como: integração fácil e segura com máquinas e outras ferramentas, permitir a rastreabilidade dos produtos, contendo todas as etapas do processo, rotinas automatizadas que agregam efetividade e velocidade nas rotinas e processos, entre outras.

Os Módulos do ERP SIGER®, focados para a gestão industrial, possuem recursos alinhados a Indústria 4.0.

No Módulo de Gestão Industrial, por exemplo, com o adicional Coletor de Dados Web, é possível apontar todos os movimentos da linha de produção através de qualquer dispositivo conectado a internet. Outro recurso é a possibilidade de integração com máquinas. O módulo também disponibiliza diferentes recursos para relatórios e indicadores, integrados e em tempo real.

Já no Módulo de Vendas e Faturamento, caso a sua indústria venda através de um e-commerce, este pode ser facilmente integrado através da API Rech, além disso, o ERP SIGER® conta com integração para o Power BI, facilitando analises gerencias.

Tudo isso, com a possibilidade de hospedar o SIGER® em um servidor na nuvem e acessar de qualquer dispositivo.

Quer conhecer o ERP SIGER e tudo que ele pode contribuir para a sua indústria?