Solicitar contato

22/03/2018   16h30

6 técnicas fundamentais de Controle de Inventário para a otimização de Estoque

Confira como maximizar o uso do estoque da sua empresa

22/03/2018   16h30

Controle de estoque pode ser definido como a coordenação e supervisão do fornecimento, armazenamento, distribuição e registro de materiais para manter as quantidades adequadas às necessidades atuais do cliente, sem excesso de oferta ou perda.

Para atacadistas e distribuidores de bens duráveis, o controle de estoque pode ser melhor definido como o processo empregado para maximizar o uso do estoque de uma empresa. O objetivo do controle é gerar lucro máximo com a menor quantidade de investimento em estoque, sem prejudicar os níveis de satisfação do cliente ou desempenho de pedidos.

Diferentes técnicas são utilizadas por distribuidores e atacadistas para garantir a eficiência e lucratividade do estoque. Elencamos 6 técnicas principais, confira para esse segmento:

 

1) Estabelecendo Políticas Anuais

O gestor deve decidir o nível máximo e mínimo do estoque e dos suprimentos que precisam ser mantidos em todos os locais de armazenamento. Também devem ser definidos os níveis otimizados de reordenamento, níveis de segurança (abaixo dos quais a disponibilidade não deve cair) e um nível de estoque médio para garantir que os custos sejam contidos.

 

2) Preparação de orçamentos de inventário

Várias empresas possuem um orçamento de inventário anual e geralmente são preparadas antes da aquisição do estoque. Nesses orçamentos é incluído o custo total para manter o estoque disponível durante o ano. Isso inclui custo de materiais, operacionais fixos, manutenção, logística, distribuição e diversos outros custos adicionais.

 

3) Manutenção de um sistema permanente de estoques

Esse sistema é projetado para manter um controle constante da quantidade e valor de cada item estocado. Muitos distribuidores atacadistas utilizam recursos de um ERP, com Warehouse Management System (WMS).

 

 

4) Índice de rotatividade de estoque (Giro de Estoque)

Este indicador é utilizado para determinar a rapidez com que o estoque é usado em um determinado período de tempo. Quanto maior a proporção, menor a vida útil do estoque e normalmente leva a um maior volume de vendas e lucratividade para empresas com baixas margens de lucro. O giro de estoque deve ser observado de perto para cada item. Ao longo do ciclo de vida do produto, a demanda irá flutuar e causar variabilidade na cadeia de suprimentos. O rastreamento dos padrões de demanda é uma maneira de garantir que os cálculos de reabastecimento de produtos sejam precisos e otimizados.

 

5) Criação de Procedimentos de Compra Otimizados

Para garantir que o estoque esteja sob controle adequado, a empresa deve adotar procedimentos de compra que se alinhem com o histórico de vendas real e com os dados do padrão de demanda. Todos os itens de estoque que não tiveram um giro de estoque ou não foram vendidos dentro de um período contábil, normalmente de 12 meses, devem ser classificados como estoque obsoleto e devem ser liquidados do estoque para eliminar custos de transporte desnecessários. Qualquer item com uma demanda de cliente em declínio deve ser sinalizado no sistema e seus limites de nível de estoque de segurança e contagem de pontos de reordenamento devem ser ajustados para baixo para reduzir o risco de obsolescência e custo.

 

6) Análise ABC e Classificação ABC

Os produtos de movimentação mais rápida em seu inventário devem estar localizados mais próximos da área de envio, preparação e recebimento. À medida que a demanda por cada produto diminui ao longo do tempo, os produtos devem ser migrados para trás para liberar espaço para itens com maior giro de estoque ou para lançamentos de novos produtos com alta demanda. Como a maioria das atividades de picking é executada em uma área pequena, o layout do depósito deve ser otimizado para reduzir o tempo gasto na procura de produtos na parte de trás do depósito.

 

Compartilhe este conteúdo